terça-feira, 25 de junho de 2013

Aquele Livro que Li: A Arma Escarlate


Então pessoal decidi lançar mais uma nova coluna aqui no blog. Assim como o TOP Fora de Ordem não há uma data fixa, contudo tentarei trazer pelo menos mensalmente.

Essa coluna fala de livros que li tem um tempo. Fala do que ficou deles, após lermos sentimos uma coisa, mas muitas vezes, passado o tempo, o que nós lembramos e sentimos  por ele pode mudar. Essa coluna não será uma resenha exatamente, mas mais o que ficou tempos após ter lido.

E pra começar irei falar de um livro que está na minha lista de ler de novo e que eu pretendo fazer isso logo antes do segundo livro lançar. Pensei seriamente em começar essa coluna falando de Os Miseráveis (meu livro favorito como já disse tantas vezes antes) contudo, no espirito de Harry Potter que estou, achei mais apropriado falar dele.

Estou falando d'A Arma Escarlate


Capa 1 e 2. Prefiro a 2º, mas a minha é a 1º
A Arma Escarlate conta a história de Hugo Escarlate (curiosamente esse nome dele foi escolhido pelo próprio por ter vergonha do seu nome verdadeiro, o motivo de ele ter escolhido Hugo foi o autor Victor Hugo que escreveu Os Miseráveis, nem precisa dizer que esse foi um gigantesco ponto a favor pro personagem logo de cara, né?!). Hugo Escarlate é um menino que vive na favela e se vê ameaçado pelo "dono" do morro de morte, contudo, ele recebe uma carta para cursar uma escola de bruxaria, o que poderia salvá-lo. A autora é a Renata Ventura que baseou seu universo no de Harry Potter - inclusive ela dedica seu livro a J.K Rowling.

“Nem tudo que se quer, se precisa. Nem tudo que se precisa, se quer.” 

Agora, apesar dos pesares e de me envergonhar um pouco disso, tenho que contar que comecei a ler o livro cheia de preconceitos. Acho que muitos fãs de HP fizeram o mesmo, e, por boa parte do começo do livro, tudo que busquei foi um plágio. Coisa que os asseguro, não é, contudo, não podemos fingir que não há semelhanças enormes e que, para alguém procurando plágio, acaba achando-os, alguns dos quais são: O garoto com vida difícil e que de certa forma é especial. A amiga inteligente sabe-tudo, o amigo fiel (Ahhh Capí), a varinha especial, o garoto chato que não larga do pé do principal, o professor que odeia todos, o professor maneiro que todos gostam, a diretora que todos adoram, o menino rico e com pais importantes com inimizade com o principal, o zelador que é um babacão... Nossa. Será que lembrei de tudo?
O Ponto é: Você começa lendo procurando uma cópia e uma cópia você verá.

Foi difícil superar esse preconceito e superá-lo para tentar ler o livro em si, porém me forcei a fazê-lo e devo dizer estou feliz que o fiz. É, o livro tem certas premissas similares, mas os caminhos tomados não poderiam ser mais diferentes. Sim, Renata se baseou no universo de Harry Potter, mas quanto mais você lê, mais vê que foi isso, ela se baseou, ela criou um novo mundo sobre aquele, mantendo-o ali, vivo, e junto de outros livros também. Ela criou um universo, dentro de um universo, que contêm o universo inicial do qual foi criado o segundo universo (aqueles que leram ‘As Crônicas de Narnia: A Última Batalha’ entenderão melhor, CS Lewis pode explicar melhor do que eu com certeza).

“A magia é um dom sim, e com ela vem muita responsabilidade. A questão é: o que você com o que lhe é dado?”(...) “ Isso não vale só para a magia. Vale para a inteligência, para o dinheiro, para a força... Todos esses elementos podem ser usados tanto para o bem, quando para o mal. Só depende de você, decidir o uso que vai dar ao poder que você tem.” 

A verdade é que foi uma história que adorei, até um pouco forte em certos pontos e me fez repensar em muitas questões, especialmente aquelas referentes ao Brasil e seus problemas. Adorei os personagens, quase todos cativantes, Capí é simplesmente perfeito assim como o resto do grupo chamados Pixies, o próprio Hugo é um personagem interessante apesar de muitas vezes ele me irritar e muito. Entretanto, me vejo obrigada a ressaltar um personagem que eu particularmente odiei, e não foi só aquele ódio de apenas torcer por uma morte lenta e dolorosa (rs) mas que simplesmente me fazia diminuir a velocidade da leitura e até mesmo, algumas vezes fechar o livro do quanto ele me irritava. Sinto muito mas Eimi, eu te odeio!

Apesar de tudo, eu superei. Estou aguardando o próximo livro (acredito que o nome seja A Comissão Chapeleira, mas não tenho certeza) e pretendo reler o primeiro logo antes do lançamento desse - então podem aguardar daqui a alguns meses uma resenha (se eu achar necessário, é claro) mais apropriada de A Arma - é um livro que recomendo muito, seja ou não fã de Harry Potter (na verdade se você não é fã de HP eu não te recomendo nada exceto que corra rápido, xD). Além disso gostaria de dizer que eu realmente gosto da Renata Ventura, me identifiquei com várias coisas que ela escreveu no livro (nos agradecimentos e talz) além disso acho muito legal o contato que ela faz com os fãs por meio de rede social. Inclusive antes do lançamento do livro devo ter trocado com ela duas ou três mensagens no Skoob, e ainda vejo quão ativa ela é no grupo do livro no facebok e por isso a parabenizo.

“Mas numa revolução, mesmo que pacifica, pessoas se machucam.(...) A bagunça em si foi causada pelo que há de ruim nas pessoas. Em todas elas, que tomaram proveito da situação. Isso revela um grande erro no sistema.” (...) “O erro de um sistema que treina seus filhos para agirem por medo de punição, não pelo desejo de manter a harmonia. No momento que a autoridade desaparece, o sistema se auto-destrói. (...) Porque sabem que ninguém irá puní-los.”

A Arma Escarlate é um bom, interessante, surpreendente livro e que, de certa forma, nos trás mais um pouco desse mundinho que aprendemos a amar tanto através do Harry. Ventura com certeza ainda está muito longe de ser uma J.K Rowling, mas sem dúvida está no caminho certo, porém no fim isso não importa, Hugo Escarlate não é Harry Potter, sim, eles dividem alguns detalhes e o fato de serem ambos bons livros. O resto são mundos de diferença.

11 comentários:

  1. Já tinha ouvido o nome desse livro pela internet mas não sabia nada tão concreto sobre ele como descobri aqui.
    Na verdade sua opinião positiva e sincera foi mais que uma resenha. Adoro Harry Potter e a história da escritora Renata Ventura me instigou bastante.
    Tendo oportunidade quero ler sim esse livro.
    Adoro colunas novas e interessantes, boa sorte com essa Bruna.
    Beijão
    Viviane
    Razão e Resenhas

    http://vivianeblood.blogspot.com.br/2013/06/resenha-o-silencio-das-montanhas-khaled.html

    ResponderExcluir
  2. Nunca ouvi falar nesses livros, mas o nome dele realmente é show.
    A capa do livro chama muito a atenção também. Mas o que me prendeu mais, além da resenha, foram as citações.
    Eu não sou muito fã de magia, mas como você disse, não gosto de Harry Potter e talvez isso incentive mais ainda eu ler.
    Estou esperando você esperar A Comissão Chapeleira agora, rs. Que venha a resenha, rs(:

    Desbrava(dores) de Livros

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem? *--*
    passando aqui rapidinho para te avisar que te indiqui para uma TAG lá no meu blog :D

    http://meuvicioliterario.blogspot.com.br/2013/06/tag-entrevista-coletiva.html

    aguardo suas respostas ein haha
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Bruna! :)
    Eu amei essa sua coluna nova. Parabéns pela criatividade.
    É uma forma de manter sempre a lembrança de bons livros que já foram lidos, né? E também fazer novas indicações. :D
    Beijos!

    Tem post novo no blog, passa lá! :D

    Café com Leituras!
    http://cafecomleiturasneriana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Bruna!

    Parabéns pela postagem. Como sempre, você é muito verdadeira e crítica. Sigo sempre suas dicas pois sei que sabe do que está falando.

    Este livro me deixa meio com medo, porque assim como você tenho certeza que vou começar a ler com muito preconceito... Mas enfim, se você gostou, vou ler também! :)

    Beijos!

    Nadja - Escrev'Arte

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, até então nem sabia da existência dele, mas gostei da resenha, parece ser um bom livro!

    Estandy Books - A Estante da Andy

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o livro, mas
    o post ficou incrivel, me deixou com uma
    super vontade de ler

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi..
    Parabéns pela nova coluna. Boa idéia.
    Eu ainda não tinha ouvido falar deste livro.
    Mas ficou legal seu post viu.
    e uma história interessante. Eu leria.

    Beijos
    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Sempre vejo várias resenhas positivas em relação a este livro e *-* a autora parece ser muito atenciosa com os fãs. Quem sabe eu não dou uma chance para ele e coloco nas minhas próximas aquisições xD

    maisquelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia, parece bom.

    http://iasmincruz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. apesar das diversas resenhas positivas até parece que esse livro é muito bem conhecido no brasil todo, além de eu achar totalmente inexplicável tanta gente gostar desse lixo

    ResponderExcluir

Deixe um comentário dando sua opinião. Se concorda ou não. Se lhe inspirou ou deixe uma sugestão.

Todos os comentários são bem-vindos, desde que não sejam ofensivos (não confundir com críticas, que, além de bem-vindas, são incentivadas)

Ah, e não esqueçam de deixar o link do seu blog (se houver) retribuo todas as visitas e comentário o mais cedo possível ^^

Mas antes de comentar, lembrem-se:
"Não existe opinião certa. Existem certas opiniões. Seja livre e escolha a sua" Arthur Hisoka