segunda-feira, 8 de abril de 2013

In The Flesh

"Eu não me sinto pronto. É por isso que eles dizem que eu estou pronto. Porque eu estou sentindo." - Kieren Walker, Episódio Piloto.

In The Flesh é uma série britânica com uma proposta diferente. Se aproveitando da moda zumbi, é uma série sobre preconceito, sobre medo, sobre amor.

Com apenas 3 episódios, de uma hora cada, me amostrou e ensinou mais do que muita série em várias temporadas.

Ano: 2013
Nº Temporadas: 1/? (renovação/cancelamento não confirmado)
Com: Emily Bevan, Harriet Cains, Steve Cooper, ...

A série se passa quatro anos após a Ascensão que ocorreu em 2009. Essa Ascensão foi os mortos levantarem de seus túmulos com fome por carne humana e sem consciência. Zumbis.

Já em 2013 o mundo sobreviveu e os ditos zumbis são capturados para tratamento, pois, afinal, eles não são "zumbis" são doentes portadores da Síndrome da Morte Parcial. Ninguém sabe o que causou tal síndrome, mas todos os mortos de antes da Ascensão voltaram. Existe quem diga religião, outros poluição, não há resposta correta.

Nela acompanhamos Kieren Walker (sobrenome nada sugestivo), um portador da Síndrome que está voltando para casa. Contudo ele mora numa pequena vila, que foi um tanto abandonada pelo governo e sobreviveu graças aos moradores que formaram a Força Voluntária Humana. É uma vila cheia de preconceitos, com suas próprias regras e leis e que não tolera a ideia de tais "monstros" viverem entre eles. Um de seus membros heróis é a irmã mais nova de Kieren (ou mais  velha, uma vez que, como ele estava morto, ele não envelheceu e ela sim).

Há muito mais na série, contudo como ela só tem três episódios (cerca de uma hora cada) fica muito difícil falar sem dar spoiler.

Uma pequena coisa  falar que de fato não atrapalha  mas é meio estranho na série é que, apesar de nos ser dito o ano que se passa, existem coisas meio estranhas no quesito tempo, como todos os monitores/televisões são CRT ainda assim há coisas como o Nintendo 3DS. Torna o tempo que se passa meio esquisito. De qualquer forma não é algo que interfere na beleza da série em nada.

Então o que você precisa saber é: Não é uma série de zumbis. É uma série de portadores de uma doença que usa tal questão como metáfora para falar de tanta coisa importante e muitas vezes delicada.

O homossexualismo, o suicídio, preconceito, hipocrisia, crença, medo, amor, segundas chances, criação, família, comportamento. É uma série sobre a vida. Tudo isso e muito mais, em cerca de três horas de cenas engraçadas e emocionantes. Momentos para refletir com um roteiro que não tem outra palavra a descrever exceto sensacional.

É um drama excelente e que recomendo a todos. É bem curtinho então dá uma ótima pedida num sábado chuvoso a tarde. E acredito que a grande maioria, assim como eu, ficará na torcida para mais uma temporada.

7 comentários:

  1. Adoro dicas de séries que ainda não conheço, pois adoro séries, óbvio...rs
    Essa me chamou bastante atenção, pelo fato e mexer com os sentimentos que você mesma citou, isso me agrada muito.
    Vou baixar, com certeza.
    Obrigada pela dica.
    Beijos
    Viviane

    http://vivianeblood.blogspot.com.br/2013/04/setima-arte-morte-do-demonio-evil-dead.html#more

    ResponderExcluir
  2. Uma série com apenas 3 episódios? Aí até eu fico com vontade de assistir *u* Vou procura-la na internet mesmo não sendo sobre zumbis, porque nem gosto deles mesmo u_u

    Gislaine Alves
    atualizado, comenta?
    Jeito Inédito

    ResponderExcluir
  3. Hoje todo mundo aproveita a moda zumbi. Isso pode ser bom ou ruim. No caso dessa série, parece que é bom, pois utiliza a metáfora dos zumbis para trabalhar a questão do preconceito, que nunca perde a atualidade. Por mais que o mundo evolua tecnicamente, as pessoas continuam extremamente preconceituosas e fundamentalistas. Valeu pela indicação!

    Primeiro acesso no seu blog e já gostei! ^_^

    Nerito
    http://www.oguardiaodehistorias.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nossa amiga, eu tenho que ver as minhas séries e terminar de puxar elas, pois dei uma parada depois que comecei a mexer com blog e com livros (risos)

    Eu tenho puxado a série Pretty Little Liars - Primeira - Segunda e Terceira temporada. The Lying Game e Carrie Diarys. Mas nem vi ainda. Pretty Little liars só vou ver a partir da segunda temporada depois que terminar de ler os livros que estou quaseeeeeeeeee terminando (risos)

    Mas enfim...

    Mas eu estou já cheia de série para ver, mas vou dar uma olhada nesse ai, quem sabe né ?

    A unica série que tenho assistido é Games of Thrones que eu adoro. xDDDD

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto de Zumbis e achei essa série bem interessante, vou procurar assistir qualquer dia desses...

    My Recents Posts:
    Memórias do Fantasma - Atormentado esta em a venda na Amazon!
    Harry Potter e o Precioso Tempo Perdido de Seus Leitores!

    ResponderExcluir
  6. Eu gosto muito de séries, sei que é chato falar que gosta de modinhas, mas eu assumo mesmo, sou viciada em The Walking Dead, porém ainda bem que essa não é mais uma série de zumbis porque repetir demais o tema desgasta. Engraçado que pensei em algo assim e até comecei a escrever como fanfic de The Walking Dead, tipo o que aconteceria depois, parei de escrever porque desanimei e não tinha leitores,rs. Talvez eu veja a série num domingo, gostei muito da sua postagem e da dica.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Eu assisti os dois primeiros episódios da série a amei! Gostei bastante de todo o drama da história.

    Abraços, Matheus!
    www.BlogJovemLeitor.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe um comentário dando sua opinião. Se concorda ou não. Se lhe inspirou ou deixe uma sugestão.

Todos os comentários são bem-vindos, desde que não sejam ofensivos (não confundir com críticas, que, além de bem-vindas, são incentivadas)

Ah, e não esqueçam de deixar o link do seu blog (se houver) retribuo todas as visitas e comentário o mais cedo possível ^^

Mas antes de comentar, lembrem-se:
"Não existe opinião certa. Existem certas opiniões. Seja livre e escolha a sua" Arthur Hisoka